Matérias
Amazonas

Em Manaus, Rio Negro deve atingir ápice da seca na segunda quinzena de outubro

Além de Manaus, Manacapuru, Humaitá, Itacoatiara e Parintins também devem alcançar o ápice da cheia

Escrito por
Rhyvia Araujo
September 30, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Leia Também

O Rio Negro deve atingir o ápice da seca deste ano na segunda quinzena de outubro, em Manaus, conforme aponta o primeiro informativo de alerta da vazante do Serviço Geológico do Brasil (CRPM). Apesar do alerta, o órgão não divulgou a previsão da média de quanto o rio deve alcançar.

Na última sexta-feira, 29, o Rio Negro alcançou a marca de 15,88, o que é considerado extremamente baixo. Em função da seca, o Chefe do Executivo municipal, David Almeida, decretou situação de emergência e disse que vai interditar a Praia da Ponta Negra.

No entanto, apesar do alerta do CRPM de que Manaus deve enfrentar uma seca severa, a estiagem deste ano deste ano ainda não alcançou as 13 maiores registradas pelo órgão.

Na maior de todas, em 2010, o Rio Negro chegou a 13,63 metros, o menor índice já registrado desde então. Cinco anos antes, em 2005, o rio alcançou 14,75 metros.

Veja as maiores secas registadas até hoje pelo CPRM:

13,63m (2010);

13,64m (1963);

14,20m (1906);

14,34m (1997);

14,42m (1916);

14,54m (1926);

14,74m (1958);

14,75m (2005);

14,97m (1936);

15,03m (1998);

15,04m (1909);

15,06m (1995);

15,39m (1907).

Ainda no relatório do CPRM, além de Manaus, Manacapuru, Humaitá, Itacoatiara e Parintins também devem alcançar o ápice da cheia na segunda quinzena de outubro.

Dessas, a situação de Parintins é a pior, já que nesta sexta-feira, 29, o Rio Amazonas está medindo apenas 28 centímetros.

Já em Itacoatiara, o Rio Solimões está medindo 3,32 metros e a seca deste ano já é a sexta maior do período histórico registrado pelo CPRM.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas