Matérias
Amazonas

Após protestos de aprovados da Segurança Pública, Wilson Lima anuncia convocação

O comunicado à imprensa não especifica se Lima irá chamar todos os aprovados em uma única vez

Escrito por
Rhyvia Araujo
November 6, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Leia Também

Após intensas cobranças dos concursados das Forças de Segurança Pública, o governador Wilson Lima deverá realizar o chamamento dos aprovados a partir das 11h desta segunda-feira. O comunicado à imprensa, no entanto, não especifica se Lima irá chamar todos os aprovados em uma única vez, mas informa que os convocados deverão apresentar os documentos necessários para a posse nos cargos ainda no mês de novembro. No último dia 31 de outubro, manifestantes chegaram a contornar a Sede do Governo, onde permaneceram à espera de um cronograma de convocação, mas segundo os representantes das comissões dos aprovados, a reunião com a base governista teve fim antes do tempo previsto. 

“O governador Wilson Lima anuncia o chamamento de aprovados em concursos da área de Segurança Pública do Governo do Amazonas, que deverão apresentar ainda neste mês de novembro os documentos necessários para posse nos cargos”.

“Entre os chamados estão aprovados para a Polícia Militar do Amazonas (PMAM); Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM); Polícia Civil do Amazonas (PCAM); Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM); Secretaria de Segurança Pública (SSP/AM); e Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), vinculado à SSP/AM”, diz trecho da nota.

Entenda o caso

No último dia 31 de agosto, uma manifestação realizada por cerca de 300 aprovados da Força de Segurança Pública em frente à Sede do Governo, foi mal recebida pelo governador Wilson Lima e pelo Chefe da Casa Civil do Estado, Flávio Antony. De acordo com os aprovados, que estavam na mesa de reunião, Antony relatou aos presentes que Lima ficou incomodado com cartazes que diziam: “Não é falta de dinheiro, é por falta de prioridade”. A reunião, que serviria para definir prazos, quanto à nomeação e convocação dos aprovados da Polícia Militar, Civil, Corpo de Bombeiros, SSP e Detran, foi encerrada antes do tempo previsto.

“O governador se sentiu incomodado com a faixa que tinha lá fora. Essa faixa em nenhum momento diz respeito ao governador , só fala a realidade do nosso Estado, que a segurança pública não é prioridade”, disse Ananda, umas das representantes dos concursados na reunião.

Os líderes da categoria ainda classificaram como “absurdo” a condição imposta pelo Chefe da Casa Civil, de se retirarem da frente da Sede do Governo. “Ele nos ameaçou dizendo que só daria continuidade a reunião se nós mandássemos as pessoas que estavam aqui fora, embora. É um absurdo! As pessoas estão aqui de forma ordeira, são futuros agentes da SSP, PC, PM, Detran e Corpo de Bombeiros. Jamais faríamos baderna aqui na frente”, destacou Michel Gomes, outro a representar os aprovados.

Um dia após o outro

O líder do Governador, deputado estadual Felipe Souza, durante sessão plenária da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), realizada nesta terça-feira (31), destacou que a reunião só teve fim por conta dos manifestantes que, segundo ele, recorrem a palavras ofensivas.

“O governo tem todo interesse em chamar os convocados, tanto que chamou para conversar na Sede do Governo para que tão logo fosse chamado os aprovados. Porém no decorrer da reunião, cada um deles na sua vez de fala, vieram com palavras ofensivas e desrespeitosas ao governo. Qual a reunião vai pra frente? A reunião não avançou por esses motivos e acabou não por parte do governo, que teve toda boa intenção”, pontuou Souza.

Segundo ele, o Governo do Estado ainda está se preparando para o chamamento dos aprovados. “O concurso foi realizado em 2021, homologado em 2022, então temos aí 1 ano de uma homologação do concurso que está dentro do prazo. Essa reunião poderia ter avançado e muito, mas infelizmente por culpa dos manifestantes que sentaram à mesa a reunião não prosperou”.

O Deputado Comandante Dan, no entanto, rebateu que não haviam palavras ofensivas durante a manifestação. “Quando nós estávamos naquela agenda, a informação que recebemos era que a manifestação lá fora, era hostil, mas até aquele momento não era. Não havia palavras ofensivas”.

Em resposta ao parlamentar, o líder do governador ressaltou que os protestantes estavam fazendo “palanque eleitoral” ao invés de tratar do assunto. “Eles fugiram ao tema, que era a convocação, eles não foram com esse objetivo, foram mais ali na intenção de fazer palanque eleitoral. Eu vi sim a manifestação hostil lá fora, mas pior do que lá fora, foi o que fizeram lá dentro”, disse Felipe Souza.

Já nesta quarta-feira (01), a pauta segurança pública voltou a repercutir na Assembleia Legislativa. A deputada estadual Alessandra Campêlo, comunicou em seu discurso que em breve será gratificada com um anúncio positivo para o chamamento dos concursados como presente de aniversário.

“Conversei com o governador Wilson Lima, e as novidades vão vir bem antes do que vocês pensam, mas não vou criar falsa ilusão. Vou falar que pedi ao governador, como presente de aniversário, que ainda no mês de novembro ele faça um anúncio positivo para o chamamento dos concursados. Acredito que esse presente vai vir”, ressaltou Campêlo.

Em nota, a Comissão dos Aprovados CFO PMAM, ressaltou que houve um candidato que proferiu palavras inapropriadas contra o governador, mas que elas não refletem a posição coletiva dos aprovados nos concursos de segurança pública.

“É fundamental ressaltar que a inatividade do governo do estado é a principal razão por trás de todos os acontecimentos até o momento, o que vem causando frustração e indignação dos aprovados, pois ainda não obtivemos resposta concreta do governo. Ademais, vale ressaltar, que o candidato referido não faz parte de qualquer comissão e, dessa forma, não representa os aprovados e tão pouco os ideais de todo coletivo que hoje busca pelo seu chamamento para contribuir com a segurança pública do Estado. Por fim, o direito à livre manifestação é assegurado pela Constituição Federal e as faixas estendidas pelos aprovados apenas pediam a convocação e um cronograma, sem incorrer em ofensas a quaisquer autoridades públicas”, diz trecho do comunicado.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas