Matérias
Saúde e Bem Estar

Amazonas registra 69 casos de rabdomiólise, sem óbitos relatados

O estado do Amazonas notificou 69 casos de rabdomiólise, com 34 deles compatíveis com a Doença de Haff, até esta segunda-feira (4)

Escrito por
Thiago Freire
September 5, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Leia Também

O estado do Amazonas notificou um total de 69 casos de rabdomiólise, até a data desta segunda-feira (4). Destes, 34 foram classificados como compatíveis com a Doença de Haff, enquanto 18 foram descartados e 17 estão sob investigação, de acordo com o Informe Epidemiológico semanal divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP).

Os casos compatíveis foram registrados em várias localidades do estado, incluindo Itacoatiara (24 casos), Manaus (6 casos), Parintins (2 casos), Manacapuru (1 caso) e Nova Olinda do Norte (1 caso). É importante observar que, até o momento, não houve óbitos relacionados à doença.

A rabdomiólise é uma síndrome que pode ser desencadeada por diversas causas, como traumas, atividades físicas intensas, infecções, consumo de álcool e outras drogas. Quando a rabdomiólise é associada ao consumo de pescados, ela é denominada Doença de Haff.

Os sintomas mais comuns entre os casos compatíveis com a Doença de Haff incluem mialgia (dor muscular), mal-estar, náuseas, fraqueza muscular, dor abdominal, vômito e urina escura.

A FVS-RCP e suas equipes estão conduzindo investigações para identificar casos suspeitos de rabdomiólise compatível com a Doença de Haff, em colaboração com as equipes de Vigilância Epidemiológica municipais.

A Doença de Haff é uma condição séria que exige vigilância e cuidados médicos adequados para garantir um diagnóstico preciso e tratamento adequado. A população deve estar atenta aos sintomas e buscar assistência médica em caso de suspeita da doença.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas