Matérias
Brasil

Adultos subnutridos com aparência de crianças e gritos de socorro abafados por som alto: o que se sabe sobre a família mantida em cárcere por 17 anos

Escrito por
Redação
July 28, 2022
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Leia Também

<p>A denúncia de que um homem mantinha, havia 17 anos, a mulher e os dois filhos em cárcere privado trouxe à tona ainda mais traços de horror do que o que podia ser imaginado pelos vizinhos. A música alta que homem colocava e que lhe rendeu o apelido de DJ não era um gosto, mas uma forma de abafar gritos de socorro das vítimas.</p>

<p>Abaixo, leia o que se sabe sobre o caso descoberto na rua Leonel Rocha, no bairro da Foice, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.</p>

<h2>Quem vivia na casa?</h2>

<p>Viviam na casa o agressor, Luiz Antônio Santos Silva, conhecido como DJ; a mulher dele; e dois filhos, de 19 e 22 anos. As identidades das vítimas não foram divulgadas.</p>

<p>Os filhos têm 19 e 22 anos, mas, segundo vizinhos, aparentam ter cerca de 10 anos por causa da desnutrição.</p>

<p>"Chorei quando eu a vi saindo. Você olhava e dava uns 8 anos para ela", disse uma vizinha que não quis ser identificada.</p>

<h2>Quem é o agressor e como ele foi preso?</h2>

<p>O homem foi identificado como Luiz Antônio Santos Silva. Policiais militares foram até a casa após uma denúncia anônima. O agressor foi preso por agentes do 27º BPM e vai responder por sequestro ou cárcere privado; vias de fato; maus-tratos e crime de tortura. A 43ª DP vai investigar o caso.</p>

<p>Segundo os policiais que libertaram as vítimas, a principal preocupação no momento do resgate foi oferecer atendimento médico. "A situação era estarrecedora", resumiu o policial militar que prestou socorro.</p>

<p>"Os policiais que primeiro chegaram aqui encontraram essas crianças realmente amarradas. Posteriormente, eu cheguei e vi que elas estavam sujas, subnutridas. Então, a preocupação imediata foi de prestar socorro médico. O Samu foi acionado para prestar todo o socorro. Inclusive, elas se encontraram agora sob os cuidados médicos", disse o PM.</p>

<h2>Por que o homem tinha o apelido de DJ?</h2>

<p>O homem era conhecido por DJ na vizinhança por colocar o som muito alto com a intenção de abafar os gritos de socorro das vítimas.</p>

<h2>Como as vítimas viviam e como foram encontradas?</h2>

<p>A mulher e os dois filhos viviam em condições sub-humanas, amarradas e sem higiene havia 17 anos.</p>

<p>Em depoimento à polícia, a mulher disse que os três sofriam violência física e psicológica de forma permanente e que eles chegavam a ficar três dias sem comer.</p>

<p>Ela também afirmou que Luiz Antonio Santos Silva nunca permitiu que ela trabalhasse nem que os filhos frequentassem a escola.</p>

<h2>Para onde as vítimas foram levadas?</h2>

<p>Inicialmente, policiais militares removeram as vítimas para o Hospital Rocha Faria para que recebessem os primeiros cuidados.</p>

<h2>Há quanto tempo as vítimas viviam nessa situação?</h2>

<p>A mulher e os filhos estavam em cárcere privado havia 17 anos.</p>

<h2>O que os vizinhos sabiam?</h2>

<p>Moradores contaram que, antes da denúncia anônima que levou a polícia até a casa da família nesta quinta-feira (28), outras denúncias já haviam sido feitas ao posto de saúde do bairro e ao Conselho Tutelar — mas nada adiantavam.</p>

<p>Os vizinhos também relataram que Luiz Antonio costumava jogar fora a comida que recebia de doação para que a mulher e seu filhos não comessem.</p>

<p>O vizinho Sebastião Gomes da Silva disse que conseguiu dar uma fruta para um dos filhos no dia em que a família foi resgatada. "A bichinha pegou a banana e comeu com casca e tudo. Ela estava com muita fome."</p>

<p></p>

<p>Fonte: <a href="https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2022/07/29/o-que-se-sabe-sobre-caso-do-homem-preso-por-manter-mulher-e-filhos-em-carcere-privado-em-guaratiba.ghtml" target="_blank" rel="noreferrer noopener">g1</a></p>

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas