Matérias
Segurança

Acusado do assassinato de Tupac Shakur se declara inocente

Ex-membro de gangue, Duane "Keffe D" Davis, nega envolvimento no assassinato do astro do hip-hop em 1996

Escrito por
Thiago Freire
November 3, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Leia Também

Nesta quinta-feira (2), Duane "Keffe D" Davis, ex-membro de uma gangue, se declarou inocente durante uma audiência em um tribunal de Las Vegas, nos Estados Unidos, onde enfrenta acusações pelo assassinato do famoso astro do hip-hop, Tupac Shakur, ocorrido em 1996.

Em setembro deste ano, Davis foi formalmente acusado por um grande júri do Condado de Clark e posteriormente preso em Las Vegas por sua suposta ligação com o assassinato de Tupac Shakur. Ele é suspeito de liderar um grupo de homens envolvidos no assassinato do artista.

Tupac Shakur é amplamente reconhecido como um dos maiores artistas do rap e alcançou sucesso comercial vendendo mais de 75 milhões de discos em todo o mundo.

O assassinato de Tupac ocorreu enquanto ele estava em um BMW dirigido por Marion "Suge" Knight, fundador da Death Row Records, fazendo parte de um comboio de cerca de 10 carros. Enquanto aguardavam em um semáforo, um Cadillac branco parou ao lado deles, desencadeando um tiroteio. Tupac foi alvejado várias vezes e, infelizmente, faleceu uma semana depois, aos 25 anos de idade.

Em 2018, após receber um diagnóstico de câncer, Duane "Keffe D" Davis admitiu publicamente em uma entrevista que estava presente no Cadillac durante o ataque.

As autoridades afirmaram que Davis teria orquestrado uma conspiração em retaliação a uma agressão que seu sobrinho, Orlando Anderson, teria sofrido por parte de Tupac e membros de sua comitiva poucas horas antes do tiroteio.

Em uma coletiva de imprensa após a prisão de Davis, a polícia apresentou imagens de câmeras de segurança que mostravam vários homens agredindo uma pessoa identificada como Anderson.

De acordo com as autoridades, após o confronto, Davis, Anderson e outros dois homens entraram no Cadillac branco armados, procurando o carro onde Tupac estava. Seis tiros foram disparados contra o lado do passageiro do veículo, e o rapper foi atingido quatro vezes.

Até o momento, as autoridades não divulgaram informações sobre o autor real dos tiros que vitimaram o artista, e os outros três ocupantes do Cadillac branco com Davis faleceram desde então. O caso continua a ser uma parte significativa da história do hip-hop e permanece cercado de mistério.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas