Matérias
Segurança

Abin exonera três servidores investigados pela Polícia Federal

Conforme a Polícia Federal, foram 30 mil usos da tecnologia FirstMile, para monitoramento ilegal de adversários de Jair Bolsonaro

Escrito por
Lucas Albarado
October 25, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Leia Também

A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) exonerou o secretário de Planejamento e Gestão, Paulo Maurício Fortunato, na terça, 24, após uma investigação da Polícia Federal apontar envolvimento em grampos ilegais.

Outros dois diretores da Agência foram exonerados. A PF investiga grampos ilegais e monitoramento de jornalistas, advogados, políticos e ministros do Supremo Tribunal Federal. 

Com a medida, eles voltam aos seus cargos de carreira, não podendo mais exercer chefia e tendo que responder processos administrativos. 

Entre 2018 e 2020 foram cerca de 30 mil monitoramentos. A PF afirma que os dados foram apagados para tentar atrasar a investigação e até o momento foram identificados apenas 1.800

De origem Israelense, a tecnologia FirstMile era usada pela Abin para espionar sem autorização legal, ministros do STF e possíveis adversários do governo de Jair Bolsonaro.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas