Matérias
Brasil

A Trajetória de Amazonino Mendes: de líder estudantil à figura folclórica do "Negão"

Escrito por
Thiago Freire
February 11, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Leia Também

<p class="has-medium-font-size">Entre mitos, amores, controvérsias, contradições e talvez o maior meme já criado na política amazonense, Amazonino Mendes atravessou gerações sempre na disputa ou com grande influência no poder político do Amazonas. Mendes saiu da militância estudantil, sendo preso pelo governo militar, para um dos maiores ícones da Política Amazonense</p>

<p class="has-medium-font-size">Natural de Eirunepé, Amazonino Armando Mendes tem sua trajetória política cheia de histórias que se confundem com a história mais recente do Amazonas e de uma mitologia que margeia a ficção.</p>

<p class="has-medium-font-size">Com 83 anos de idade e 40 anos de vida política<strong>,</strong> Mendes foi senador, prefeito de Manaus por três mandatos e quatro vezes governador do Amazonas. Tendo seu primeiro mandato no Governo iniciado em 1987. Em 2017. Amazonino foi o único político a exercer o a chefia do Amazonas por 4 vezes.</p>

<!-- wp:image {"id":12744,"sizeSlug":"full","linkDestination":"none"} -->

<figure class="wp-block-image size-full"><img src="https://diariodacapital.com/wp-content/uploads/2023/02/Design-sem-nome-70.jpg" alt="" class="wp-image-12744"/></figure>

<!-- /wp:image -->

<p class="has-medium-font-size">A marca administrativa da estrutura do Amazonas ainda tem cum carga pesada das gestões do Negão. Feitos como a criação da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás) e a fundação da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), no ano de 2001.</p>

<p class="has-medium-font-size">Foi na gestão de Mendes, quando esteve à frente da Prefeitura de Manaus, nos anos de 2009 a 2012, que foram criados os programas Bolsa Universidade e Leite do Meu Filho. No mesmo período, a Prefeitura expandiu o atendimento às mulheres de Manaus com as Carretas da Saúde.</p>

<p class="has-medium-font-size">Diferentes gerações veem Mendes de formas diversas. Os mais antigos como uma lenda imponente, que chegou a fugir da Ditadura militar. Os mais jovens lembram do político que virou meme com o “Então, morra”. Esse fato ocorreu quando Amazonino foi prefeito pela última vez e bateu boca com uma moradora que se recusava a sair de uma área de risco.</p>

<!-- wp:image {"id":12743,"sizeSlug":"full","linkDestination":"none"} -->

<figure class="wp-block-image size-full"><img src="https://diariodacapital.com/wp-content/uploads/2023/02/amazonino-bate-boca-moradora_acrima20110221_0095_1314113.webp" alt="" class="wp-image-12743"/></figure>

<!-- /wp:image -->

<p class="has-medium-font-size"><strong>Carreira política:</strong></p>

<!-- wp:image {"id":12745,"sizeSlug":"full","linkDestination":"none"} -->

<figure class="wp-block-image size-full"><img src="https://diariodacapital.com/wp-content/uploads/2023/02/download.jpg" alt="" class="wp-image-12745"/></figure>

<!-- /wp:image -->

<p class="has-medium-font-size">Prefeito de Manaus (1983–1986) – Em 1983 Amazonino assumiu a PMM indicado no ano anterior por Gilberto Mestrinho. Um dos feitos desse seu primeiro mandato foi à regularização de invasões existentes e a urbanização de bairros, alguns com mais de 30 anos.</p>

<p class="has-medium-font-size">Governador do Amazonas (1987–1990) – iniciou o primeiro mandato como governador. Um dos feitos importantes da época foi o lançamento das bases para o crescimento do Festival de Parintins. Em 1988, ele construiu o Centro Cultural de Parintins, conhecido atualmente como “Bumbódromo”.</p>

<p class="has-medium-font-size">Também durante a sua gestão da época, foram feitas a restauração do Teatro Amazonas e do Reservatório do Mocó, ambos patrimônios culturais do Estado.</p>

<p class="has-medium-font-size">Prefeito de Manaus (1993–1994) – assumiu a Prefeitura, anos após ser eleito senador da República (1990). Ele ficou dois anos no mandato, porque deixou a Prefeitura para assumir o segundo mandato de governador, tendo sido eleito em 1º turno.</p>

<p class="has-medium-font-size">Governador do Amazonas (1995–1998) – Assumiu o Governo pela segunda vez. Nesse período sua gestão foi responsável por construir o Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio, com o pronto-socorro infantil anexo, os Centros de Atendimento Integral à Criança (Caics), os Centros de Atenção Integral a Melhor Idade (Caimi), além de reformar ampliar o Hospital Dr. Adriano Jorge.</p>

<p class="has-medium-font-size">Na área da educação, destaca-se a implantação da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).</p>

<p class="has-medium-font-size">Ao fim do mandato, ele disputou as eleições e foi reeleito governador do Estado do Amazonas onde ficou de 1999 até 2002.</p>

<p class="has-medium-font-size">Prefeito de Manaus (2008 – 2012) – Em 2008, após disputar e perder algumas eleições, Amazonino se candidatou novamente a Prefeitura de Manaus pelo PTB e foi eleito após ir para o segundo turno das eleições, com o então prefeito Serafim Corrêa (PSB). Mendes foi eleito com mais de 57% de votos. Nesse período foi criado o Programa Bolsa Universidade.</p>

<p class="has-medium-font-size">Governador do Amazonas (2017–2019) – Amazonino disputou pelo PDT as eleições suplementares e venceu o segundo turno contra o ex-governador Eduardo Braga (MDB).</p>

<p class="has-medium-font-size">Eleições – Nas eleições seguintes, Mendes disputou aos cargos de prefeito, em 2020, e Governo (2022), mas apesar de inúmeros votos e ser “agraciado” por muitos eleitores, não venceu as respectivas eleições.</p>

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas