Matérias
Esporte

A incapacidade de largar o osso: a desonra das histórias de São Raimundo e Rio Negro

"Simplesmente no último sábado (2), o São Raimundo confirmou a desistência do Barezão de 2024 por falta de dinheiro"

Escrito por
Larissa Balieiro
December 4, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Leia Também

Eu juro pra vocês que elaborei uma pauta diferente para a coluna desta segunda-feira (4), mas tivemos notícias sobre o andamento de participação de São Raimundo e Rio Negro na edição de 2024 do Campeonato Amazonense. Dias atrás eu escrevi sobre as indefinições dessas equipes e agora eu trago um cenário mais definido.

Simplesmente no último sábado (2), o São Raimundo confirmou a desistência do Barezão de 2024 por falta de dinheiro. É isso mesmo, falta de dinheiro. Acontece que, nos últimos anos o Tufão buscou recursos para competir e até teve ali em 2021 uma boa campanha com o vice-campeonato amazonense na gestão licenciada do vereador Rodrigo Guedes. O time segue afundado em bloqueios judiciais e conta com o apoio (sempre e irrestrito) da sua torcida mas, só isso não basta. A atual gestão não fala a mesma linguagem do torcedor e ao invés de aproximar, afasta. 

É muito triste o que acontece agora com o São Raimundo. O time acabou de subir de divisão e agora cai de divisão de novo. Eu fico pensando no esforço que foi feito pelo Cícero Junior, por exemplo. Torcedor e que estava à frente da parte executiva do Tufão na série B. Foi na luta e na raça que ele com apoio de outros torcedores conseguiu reerguer o alviceleste. E a troco do que? Agora simplesmente acabaram esse trabalho. Cícero se afastou ainda alguns meses atrás dando indicativo que internamente, não adianta você arrumar a sala, os ratos iam bagunçar de novo. 

Outro dia eu vi um relato de um torcedor que levou patrocinador para dentro do São Raimundo. Pois bem, é óbvio que com essas indefinições e essa diretoria que não abre espaço para LARGAR O OSSO e atrair quem quer somar no time, o patrocinador também pula fora. O São Raimundo é carregado por sua torcida e ela merece mais respeito e ouvidos, sim.

Agora é isso, o São Raimundo que já foi tricampeão do Norte, foi o último clube amazonense a disputar uma série B do Campeonato Brasileiro se resume a cair pra série B do amazonense de novo em menos de dois anos, hoje amarga uma trajetória movida a péssima gestão. É uma vergonha essa desistência, essa falta de planejamento e essa falta de diálogo. Para um site local, o atual presidente chegou a esboçar a ilusão do torcedor dizendo que tinha até fechado cota de patrocinador. O discurso mudou em 24 horas e a desistência veio.

Ai o que não podia piorar, piorou porque agora o Rio Negro ensaia uma desistência. Outro clube centenário e de tradição. Ainda na justiça, existe a briga de alguns sócios com a gestão que estava. A Justiça em outubro pediu o afastamento da diretoria do presidente em questão, Jefferson Oliveira por conta de má gestão. O mesmo emitiu documento renunciando e informando problemas pessoais. Ai um interventor deveria ser indicado e ele veio. Agora, um membro da antiga gestão conseguiu derrubar essa decisão. No resumo: não querem largar o osso para que entrem no clube pessoas que saibam fazer prosperar a história do Galo.

Eu vejo muita gente criticar os times novos e dizendo dos apoios que eles recebem. Eu lembro que ninguém investe ou vai atrás do que não dá resultado ou tem o mínimo de gestão. Então, se os clubes novos hoje nadam em grana, não é porque são novos mas porque sabem fazer acontecer seus planejamentos. Os clubes antigos precisam nadar na tradição e sustentar isso. Parar de se vitimizar e abrir a porta pra quem quer somar. O velho dar espaço ao novo. Futebol é evolução, dentro e fora dele.

Ou você acorda, ou você enterra a história. E no caso de São Raimundo e Rio Negro, estão rasgando suas respectivas histórias. Lamentável!

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas