Matérias
Amazonas

68 adolescentes foram detidos no Amazonas, suspeitos de ameaça escolar

No Amazonas, 68 adolescentes foram apreendidos, suspeitos de participação em ameaças em escolas

Escrito por
April 17, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Leia Também

<p>Nesta segunda-feira, 17, o Governo do Amazonas, através do Comitê Interinstitucional de Proteção, Monitoramento, Guarda e Segurança Escolar e do Núcleo de Inteligência e Segurança Escolar (Nise), conseguiu identificar e apreender no Amazonas, 68 adolescentes, envolvidos e suspeitos de participação a ameaças em escolas, na capital e interior do Estado.</p>

<p>O Núcleo de Inteligência e Segurança Escolar (Nise), do Governo do Amazonas, tem o objetivo de adotar medidas de segurança para acabar com os ataques e crimes de ameaça, racismo, bullying, ciberbullying, uso abusivo de drogas, tráfico de entorpecentes e quaisquer outras ações que se configurem em transgressões dentro das escolas contra estudantes, profissionais da educação ou mesmo contra a estrutura das unidades da rede estadual de ensino. </p>

<p>“Esse momento não é só um problema da educação, não é só um problema da segurança, não é só um problema social, mas é um problema que a família tem que estar vigilante, ajudando seus filhos, colaborado com a revista das suas mochilas, dos seus cadernos, identificando qual o tipo de rede que está usando e grupos de whatsapp. Com isso, com certeza nós vamos debelar esse problema”, disse a secretária estadual de Educação, Kuka Chaves.</p>

<p>Além de Manaus, as ocorrências também foram identificadas nas cidades de Anamã, Anori, Presidente Figueiredo, Novo Airão, Lábrea, Apuí, Maués, Iranduba, Itapiranga, Benjamin Constant, São Gabriel da Cachoeira, Parintins e Rio Preto da Eva.</p>

<p>A ação em conjunto conseguiu evitar 56 possíveis ocorrências nas escolas. “São adolescentes envolvidos em diversas ocorrências, dentre elas até o porte de arma branca, que está dentro da lei de contravenção penal. E temos também situações mais graves como adolescentes que mantinham perfis em redes sociais onde eles ameaçavam realizar ataques. </p>

<p>Identificamos também adolescentes fazendo esse tipo de ameaças em outros estados, como no Ceará e no Pará. A maioria deles foi colocada em liberdade, mas com encaminhamento devido para acompanhamento profissional, por meio de uma equipe multidisciplinar”, finalizou o delegado Denis Pinho, coordenador do Nise.</p>

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas