Matérias
Saúde e Bem Estar

1 em cada 6 pessoas, no mundo, é afetada por infertilidade, afirma OMS

Na maioria dos países, os tratamentos de fertilidade são custeados pelos próprios pacientes. Nos países mais pobres, os gastos são maiores que em nações mais ricas, aponta a OMS.

Escrito por
Rhyvia Araujo
April 8, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Leia Também

<p>Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 17,5% da população mundial é afetada pela infertilidade, o que totaliza uma em cada seis pessoas no mundo. O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, declarou que os países precisam promover mais serviços para quem tenta, sem sucesso, engravidar, e afirmou que este é um desafio global e que não pode ficar restrito às políticas de saúde e pesquisa.</p>

<p>Considerando a infertilidade como uma doença do sistema reprodutivo masculino ou feminino com base numa tentativa fracassada de engravidar durante 12 meses seguidos ou mais, a Organização defende que os afetados pela doença, precisam ter acesso a tratamento de fertilidade, de alta qualidade, independentemente do status social.</p>

<p>Pessoas afetadas pela infertilidade, segundo a Organização, sofrem com ansiedade, estigma e dificuldades financeiras. Um outro problema são os danos à saúde mental e ao bem-estar de homens e mulheres.</p>

<p>Muitas pessoas acessam tecnologias de reprodução assistida, incluindo a fertilização in vitro, IVF, mas a OMS ressalta que esses recursos permanecem sub financiados e inacessíveis por conta do custo, estigma social e outros limites. De acordo com a OMS, na maior parte dos casos, os tratamentos são financiados fora dos seguros de saúde ou sistemas de saúde pública. Em países de alta renda, a prevalência é de 17,8%. Já em nações de renda baixa e média, a taxa é de 16,5%.</p>

<p>A diretora de Pesquisa de Saúde Sexual e Reprodutiva da OMS, Pascale Allotey, conta que milhões de pessoas têm que arcar com o preço catastrófico após buscar tratamento contra infertilidade. Segundo ela, políticas melhores de financiamento público poderiam socorrer os lares mais pobres.</p>

<p>O relatório da OMS mostra que existem indícios convincentes de que a alta prevalência global de infertilidade revela a falta de dados em muitos países e algumas regiões, com um estudo que traz informações de 1990 a 2021.</p>

<p>Foram identificados 12.241 casos de análises relevantes em todo o mundo. Uma triagem desses documentos levou à seleção de 133 estudos que foram incluídos na análise final do relatório.</p>

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas